Place Branding: Você sabia que a sua cidade deveria ser uma Marca?

Place Branding: Você sabia que a sua cidade deveria ser uma Marca?

O que faz uma cidade ser mais atrativa do que as outras? É mera coincidência ou existe um esforço por parte das cidades para se destacar diante das demais?

A resposta para essa pergunta fica clara quando olhamos para os exemplos de Nova Iorque ou Amsterdam. Ambas conseguiram causar impacto nos seus moradores e visitantes através da criação e gestão de uma marca para a cidade, trazendo benefícios que vão além da mera identidade visual conhecida mundo afora. Em razão desse esforço essas cidades conseguem se desenvolver melhor, fortalecem o sentimento de pertencimento entre os moradores e atraem uma legião de turistas que desejam sentir como é estar na tão aclamada cidade.

No entanto, o processo de gestão de marca (branding) de uma região traz desafios importantes que não são vistos no desenvolvimento da marca de um produto em geral. Isso se dá principalmente porque a cidade não “pertence a alguém específico” como os produtos. Sua existência depende de inúmeros fatores que não estão na mão de um indivíduo com uma caneta capaz de decidir o que deve ou não deve ser feito.

I AMsterdam é um case de sucesso no Branding de Cidades ou Place Branding

Diante disso, como esse fenômeno pode ser replicado para que outras cidades também possam usufruir dos benefícios mencionados?

Bem, antes de mais nada é preciso ter o entendimento de que a Sociedade, o Governo e a Iniciativa Privada precisam compartilhar da mesma visão sobre o tema, convergindo esforços em direção aos mesmos objetivos traçados para a cidade. Isso implica dizer que os diferentes partidos políticos precisam sentar juntos durante a construção desse trabalho para que os esforços não sejam zerados a cada novo governo que assumir.

O segundo aspecto importante a ser levado em consideração é sobre a identidade da cidade e qual o sentimento que ela transmite nas pessoas. O que as pessoas pensam quando falam sobre determinado lugar? São sentimentos difusos ou existe uma mensagem clara que fortaleça os pontos positivos e almejados?

Para o autor Julian Stubbs o processo de desenvolvimento de marca de uma cidade deve levar em consideração uma série de atributos que ele organiza no Place Brand Scorecard. A ideia é levantar alguns elementos chave que podem trazer sucesso para a cidade e auxiliar na construção da sua marca. Dentre eles estão:

  • Identidade: os valores principais da cidade estão representados e claros na mente das pessoas?
  • Organização: existem esforços que falam a mesma língua quando o assunto é a gestão de marca da cidade?
  • Infraestrutura: existem boas rodovias, portos e aeroportos que facilitem a chegada e partida das pessoas?
  • Atrações Turísticas: o local se destaca por algum ponto turístico especifico?
  • Arquitetura: existem locais famosos pela sua arquitetura que mobilizam as pessoas?

O conceito que a cidade escolher para si deve ser condizente com a sua realidade a fim de evitar “falsas promessas”. Desta forma, cabe na maioria das vezes utilizar conceitos simples e trabalhá-los de forma consistente para que eles fiquem claros na mente das pessoas e possam auxiliar no desenvolvimento ou engajamento pretendido. No final, o que se quer é que as pessoas compartilhem os desejos e objetivos da cidade e tornem-se agentes ativos nesse processo de fortalecimento.

Fica então a pergunta: Qual é a primeira coisa que vem à mente quando falam da sua cidade?

Confira o vídeo completo com a palestra de Julian Stubbs sobre o tema:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *